sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Inevitável

Eu não pedi para me apaixonar por você, não pedi para o meu corpo sentir a sua falta. Mas quem é que manda nos nossos sentimentos se não os nossos sentimentos por si só? E se me perguntar o que eu faria se tivesse a escolha de não gostar ou de gostar de você eu só responderia, faria tudo igual, se não, melhor. Mesmo que eu tenha que enfrentar muitas dificuldades para fazer meu corpo se acostumar a estar distante de você, eu farei, mas ainda prefiro o leve toque de sua pele ao sopro arrasador da solidão. Eu não mandaria meu coração não te procurar, eu não mandaria meu coração não te desejar, eu só mandaria ir mais rápido, para não perder nem um segundo da sua presença, para não perder nem um sorriso seu. Porque mesmo que eu não possa te fazer sorrir sempre, eu vou tentar, mesmo que eu não possa alcança-la, eu vou atravessar esse oceano atrás de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário